segunda-feira, 5 de setembro de 2016

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO


FINALIDADE
Art. 1º - Os JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO/2016 têm a finalidade de proporcionar a vivência e a participação do estudante, do ensino médio, ao modelo da diversidade e coletividade de atividades esportivas, mobilizando a classe estudantil em um processo diferenciado de educação por meio do esporte educacional, promovendo o desenvolvimento integral do aluno, sem discriminação, respeitando o seu regionalismo e cultura para a construção de valores em uma consciência baseada nos ideais do movimento olímpico (Olimpismo).

JUSTIFICATIVA
Art. 2º - É dever do estado promover o acesso às atividades esportivas, como parte da formação integral dos alunos, possibilitando a sua participação e socialização, uma vez que o esporte é um agente transformador cada vez mais atuante dentro da sociedade proporcionando o intercâmbio entre os estudantes.

OBJETIVOS
Art. 3º - Os JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO/2016 tem como objetivos:
a) Democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte como instrumento educacional, visando o desenvolvimento integral do adolescente e jovem, como meio de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida.
b) Fomentar a prática do Esporte Educacional;
c) Garantir aos estudantes da UE o direito ao desporto educacional;
d) Utilizar o esporte como instrumento de inclusão social;
e) Estimular o gosto da prática esportiva aos participantes;
f) Desenvolver condutas e valores que favoreçam o comportamento construtivo através do companheirismo, cooperação, autossuperação, autocontrole, respeito e observância das regras das modalidades;

REALIZAÇÃO
Art. 4º – Os JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO/2016 é uma realização da Direção, Coordenação, professora de Educação Física, equipe docente e estudantes do 3º ano do Ensino Médio.

ORGANIZAÇÃO
Art. 5º – A estrutura da coordenação dos JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO, terá a seguinte composição:
1. A Direção Geral
2. Comissão Central Organizadora
3. Coordenação Administrativa
3.1. Secretaria Geral
3.2. Comissão Financeira
3.3. Comissão de Divulgação;
3.4. Comissão médica;
4. Comissão Técnica
5. Comissão Disciplinar

COMPETÊNCIA
DIREÇÃO GERAL (quem são e o que compete)
Art. 6º - Integra a Direção Geral: a Direção a UE, coordenação pedagógica e docente;
Compete:
I-Planejar, acompanhar, supervisionar e coordenar as atividades da Comissão Central Organizadora
II-Aprovar o orçamento e autorizar as despesas necessárias à realização dos JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO/2016.

COMISSÃO CENTRAL ORGANIZADORA
Art. 7º – Integra 1 alunos/alunas de cada turma dos 3º ano do Ensino Médio
Compete:
I-Coordenar e supervisionar diretamente os trabalhos executados pelas Coordenações.
II-Decidir acerca de questões próprias da administração, organização e regulamento do evento, juntamente com a Coordenação técnica;
III-Coordenar as competições em todos os seus detalhes técnicos e administrativos.
IV-Cumprir e fazer cumprir o presente regulamento e as demais normas, que venham a ser baixadas.
V-Elaborar o relatório final referente ao evento.

COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA
Art. 8º – A Coordenação Administrativa, integrada à Comissão Central Organizadora, terá 01 (um) coordenador, e 10 (dez) adjuntos, para coordenarem as Subcomissões e a Secretaria Geral e tantos auxiliares quanto necessário.
Art. 9º - A Coordenação Administrativa compreenderá:
a) Secretaria Geral;
b) Comissão Financeira
c) Comissão de Divulgação;
d) Comissão médica.
Compete:
I-Exercer a Coordenação, Supervisão da Secretaria Geral e das outras comissões.
II-Receber, analisar e repassar todos os atos administrativos exigidos no evento, Boletins Oficiais, Notas Oficiais, Autorizações e outros;
III-Receber e conferir todos os resultados da competição nas diversas modalidades, sendo posteriormente homologados pela Coordenação técnica e emitidos em Boletim Oficial.
IV-Assessorar e trabalhar em conjunto com a Coordenação Técnica na programação dos jogos.
V-Coordenar as competições em todos os seus aspectos.
VI-Cumprir e fazer cumprir o presente regulamento e as demais normas, que venham a ser baixadas.
VII-Elaborar o relatório final referente ao evento e apresentar à CCO, no prazo de 10 dias após as competições.

SECRETARIA GERAL
Art. 10º – A Secretaria Geral, subordinada à Coordenação Administrativa, será constituída de 01 (um) Secretário Geral, 01 (um) Secretário Adjunto.
Compete:
I-Assessorar a CCO.
II-Receber, analisar e processar as inscrições e cadastramento dos participantes.
III-Expedir credenciamento dos inscritos, staff, arbitragem e segurança e comissões envolvidos no evento.
IV-Receber, analisar e acompanhar o material destinado à composição do Boletim oficial, digitando e distribuindo-o aos participantes.
V-Receber, analisar e encaminhar os protestos recebidos aos setores competentes, inclusive à Comissão Disciplinar.

COMISSÃO DE DIVULGAÇÃO
Art. 11º - A Comissão de Divulgação, órgão de assessoramento imediato da Coordenação Administrativa, será integrada por 03 (três) membros.
Compete:
I-Executar o trabalho de divulgação do evento junto à imprensa.
II-Informar locais, dias e horários programados para realização dos eventos;
III-Promover a divulgação dos jogos, resultados e boletins informativos, bem como os seus resultados, da forma mais abrangente possível;
IV-Promover entendimento com os inscritos, profissionais educacionais, segurança, staffs e arbitragem, para que o evento atinja suas finalidades educacionais, desportivas e sociais;
V-Cumprir e fazer cumprir o presente regulamento e normas oficiais do evento.
VI-Orientar e esclarecer sobre o presente regulamento e normas oficiais para todos que estiverem em dúvida.
VII-Acompanhar e registrar todo acontecimento do evento e usar de meios de comunicação para a divulgação dos registros.
VIII-Assessorar a Comissão Central Organizadora.

COMISSÃO MÉDICA
Art. 12º - A Comissão médica será constituída de 01 (um) Coordenador e 01 (um) auxiliar, indicados pelo Presidente da CCO.
Compete:
I-Providenciar atendimento médico-hospitalar aos participantes.
II-Encaminhar ofícios ao corpo de bombeiro e equipe médica mais próxima comunicando do evento a ser realizado.
III-Escalar em cada local de competição, em caráter de plantão, um ou mais enfermeiros habilitados a primeiro socorros;
IV-Comunicar uma equipe médica para atendimento de urgência se necessário;
V-Elaborar um plano de evacuação de acidentados, bem como, providenciar todo atendimento de emergência, em ligação com hospitais;
VI-Ter um setor e kti primeiros socorros de atendimento de urgência;
VII-Elaborar relatórios para a CCO.
VIII-Adquirir um kit de primeiros socorros adequado o evento

COORDENAÇÃO TÉCNICA
Art. 13º - A Coordenação técnica, subordinada a CCO, será constituída de 01 (um) Coordenador Técnico e 01 (um) Coordenador de modalidades.
Compete:
I-Assessorar diretamente os trabalhos da CCO
II-Elaborar e emitir toda programação da competição, e encaminhar à comissão de divulgação para a divulgação dos respectivos boletins.
III-Homologar os resultados e a classificação das equipes nas diversas modalidades; verificar junto a Assessoria de infraestrutura e Assessorias de Modalidades às condições dos locais das competições antes e durante o período de realização das mesmas.
IV-Dirigir e controlar as competições de acordo com este regulamento, e com as normas complementares que venham a ser baixadas pela CCO.
V-Promover reuniões com os representantes das turmas, para apresentação dos programas das competições e realização das reuniões técnicas.
VI-Coordenar as atividades técnicas do evento.
VII-Manter permanente contato com a Coordenação Administrativa e com a Secretaria Geral, buscando assegurar o perfeito e eficiente desenvolvimento das ações.
VIII-Coordenar as atribuições inerentes ao quadro de arbitragem;
IX-Cumprir e fazer cumprir o presente Regulamento, dentro de sua área de atuação.
COORDENAÇÃO DE MODALIDADES
Art. 14º – A coordenação de modalidade, subordinada a Coordenação Técnica, será constituida de 01 (um) coordenador e 03 (três) auxiliares.
Compete:
I-Coordenar as escalas das equipes de arbitragem, de quadra, súmula e de linha.
II-Acompanhar as equipes de arbitragem nos locais de competição, verificando o desempenho das mesmas. Decidir quanto às consequências técnicas das interrupções de partidas ou provas, determinadas pela equipe de arbitragem.
III-Entregar todo material esportivo necessário a competição aos Assessores de Modalidades.
IV-Elaborar e digitar o regulamento de cada modalidade com os critérios de inscrição, valores, participantes, disciplina e regras específicas.
V-Selecionar e orientar as pessoas envolvidas na arbitragem e súmulas.
VI-Cumprir e fazer cumprir o regulamento geral e específico, sendo cada um o exemplo para os outros.

COMISSÃO DISCIPLINAR
Art. 15º – A Comissão Disciplinar será composto por pessoas idôneas, indicadas e nomeadas pelo Presidente da CCO, tendo a seguinte composição:
- 1 Presidente;
- 3 Membros Efetivos;
- 2 Membros Suplentes.
Compete:
I-Receber os recursos das equipes em tempo hábil e orientar quanto o procedimento de julgamento.
II-Convocar pessoas idôneas, indicadas e nomeadas pela CCO para o julgamento do recursos e/ou análise de conduta e comportamento dos atletas envolvidos no evento.
III-Aplicação imediata e em rito sumaríssimo de sanções disciplinares decorrentes de infrações cometidas antes, durante ou depois das partidas e constantes nas súmulas ou documentos similares dos árbitros, delegados e poderes constituídos dos jogos;
IV-Receber e juntar as denúncias encaminhadas pela Secretaria Geral;
V-A COMISSÃO DISCIPLINAR se reunirá com o mínimo de 03 (três) membros, e tomará decisões através de votação, e havendo empate, caberá ao Presidente o voto de Minerva.
Poderão ser aplicadas as seguintes sanções disciplinares:
a) Suspensão de 01 jogo;
b) Exclusão dos Jogos em disputa;
c) Suspensão de 02 dias de aulas e comunicação aos pais e/ou responsáveis.
A aplicação das sanções disciplinares ocorrerá em decorrência da gravidade da infração, a critério exclusivo da COMISSÃO DISCIPLINAR, tendo em vista o que consta nas denúncias apresentadas e das súmulas de jogo ou em face dos relatórios das autoridades desportivas competentes, além das provas apresentadas.
As sanções disciplinares entrarão automaticamente em vigor a partir das decisões da COMISSÃO DISCIPLINAR e serão divulgadas no boletim oficial dos jogos para conhecimento dos representantes das turmas e Coordenadores de modalidades para ciência e cumprimento.

INSCRIÇÕES
Art. 16º - As inscrições deverão ser entregues em data definida à Comissão de Inscrição, mediante FICHA DE INSCRIÇÃO (assinada por um aluno responsável da turma e o valor total), especificando MODALIDADE e NAIPE para qual se inscreve, sem rasuras ou amassadas.
Art. 17º - As inscrições serão feitas entre os dias 08 a 22 de setembro de 2016, no valor de R$ 80,00 (oitenta reais) por turma.
Art. 18º - Os jogos serão realizados entre os dias 26 a 29 de setembro de 2016.
Art. 19º - Para a inscrição das modalidades:
Futsal
Voleibol Misto
5 a 15 alunos ambos os sexos
6 a 18 alunos
Art. 20º - As modalidades serão adaptadas a realidade da escola, proporcionando e garantindo os objetivos e a participação dos alunos nos jogos internos. Segue as adaptações:
Futsal Voleibol Mista
04 jogadores na linha e 01 no gol 03 jogadores do sexo feminino e 03 jogadores do sexo masculino
Parágrafo primeiro – Cada aluno poderá em 02 modalidades coletiva.
Parágrafo segundo – No futsal feminino a turma que não tiver completado o número mínimo de participantes poderá recorrer a outras turmas, valendo da primeira participação das alunas da turma.

CONGRESSO TÉCNICO
Art. 21º - Os critérios técnicos para sorteio das tabelas dos JOGOS INTERNOS DO JOSÉ LOBO/2016 serão realizados no dia 23 de setembro de 2015 (sexta) às 9h, local a decidir, sob a obrigação de um representante de sala das turmas inscritas.
Parágrafo único – O representante e/ou responsável pela equipe que se ausentar do Congresso Técnico concordará com tudo que foi definido e com o regulamento geral.

ARBITRAGEM –
Art. 22º - Os Árbitros têm como atribuições:
a) Decidir se as equipes estão ou não em condições de participar da competição, considerando-se as Regras da modalidade e adequações realizadas em função do caráter educativo dos jogos.
b) Priorizar uma arbitragem educativa.
c) Para o Futsal Masculino, será realizado por árbitro credenciado na Associação de Ábitro.
d) Cada turma poderá indicar alunos para as Comissões Técnicas.

SISTEMAS DE DISPUTAS
Art. 23º - Só haverá disputa e premiação se houver no mínimo 03 equipes inscritas por modalidade coletiva.
a) Havendo de 03 a 05 equipes inscritas, a disputa fica sendo todos contra todos.
b) Havendo de 06 a 08 equipes inscritas, a disputa é feita em 02 grupos de chaves, classifica 02 equipes por chave e cruzamento olímpico.
c) Havendo 09 a 11 equipes inscritas, a disputa é feita em 03 grupos de chaves, classifica 01 equipe por chave e o melhor perdedor, e cruzamento olímpico.
d) Havendo 12 e 13 equipes, a disputa é feita com eliminatória simples
Art. 24º - Caso alguma equipe seja desclassificada, manter-se-á nos jogos, mas perde a chance de disputa dos 1º lugar, de forma que todas as disputas o placar será invertido caso a equipe desclassificada ganhe ou manterá o placar caso a equipe desclassificada perca, para as modalidades coletivas.
Parágrafo Primeiro – Se a equipe recusar a terminar a disputa/partida ou nela não puder continuar, por motivos próprios, permanecerá o resultado da partida, dando ganho de pontos para o seu adversário.
Parágrafo Segundo – Será disputado no futsal com 2 tempos de 10 minutos com 2 minutos de intervalo entre o 1º e 2º tempo. Na fase final os jogos serão disputados em 2 tempos de 12 minutos com intervalo de 2 minutos entre o 1º e 2º tempo.
Parágrafo TerceiroSerá disputado no voleibol melhor de 3 sets com 2 sets de 18 pontos e 1 set de 12 pontos. Ou o set de 10 minutos e fica o placar que foi alcançado ao término do período do set.

CRITÉRIOS DE DESEMPATES DAS MODALIDADES
Art. 25º - Havendo empate entre duas ou mais equipes em quaisquer colocações, serão observados os seguintes critérios de desempates, nas modalidades coletivas:
a) Maior número de vitórias;
b) Confronto direto;
c) Maior saldo de gols/pontos prós (convertido);
d) Menor número de gols/pontos sofridos;
d) Sorteio.
Parágrafo Primeiro – Caso haja empate na fase classificatória/eliminatória, será adotado os critérios abaixo:
a) Disputa de penault no futsal;
Art. 26º - Os casos omissos deste Regulamento Geral serão analisados pela Comissão Central Organizadora.

PONTUAÇÕES E PREMIAÇÕES
Art. 27º Abaixo apresentamos o “Quadro de Pontuação” que será utilizado durante os jogos, da primeira fase:
Pontos
Vitoria
3
Empate
1
Derrota
0
Paragrafo primeiro - A premiação será realizada no dia 29 de setembro de 2016.
Parágrafo segundo - Cada turma poderá inscrever uma a torcida organizada de 05 a 10 alunos, nos dias 08 a 22 de setembro de 2016, a avaliação da melhor torcida será feita ao final de cada dia a partir dos critérios de:
a) Uniforme da escola ou uniforme combinado
b) Animação
c) Criatividade
d) Produção de material
e) Produção musical
f) Comportamento e conduta durante a partida
g) Cumprimento do Regulamento Geral
Parágrafo quarto – As notas da torcida organizada será 1 a 5 pontos para cada critério acima mencionado. A somatória das notas será apresentada diariamente em Boletim Oficial.

JOGOS E SEUS HORÁRIOS
Art. 28º - Os jogos terão seu início no horário fixado pela tabela, sendo considerada perdedora por ausência (W x O) a equipe que não aparecer para jogar. Caso a equipe esteja atrasada será descontado o atraso no andamento jogo. Não haverá tolerância, após a hora estabelecida para o segundo jogo da rodada do dia, independente da modalidade.
Parágrafo PrimeiroA equipe deverá começar a partida com todos em quadra, na ausência de um integrante, para o mínimo de cada modalidade, terá o início da partida até completar o número necessário de cada modalidade.
Art. 29º - Os jogos serão em horário de aula, com início às 7:00 com término às 12:00, nos dias 26 a 29 de setembro de 2016, respectivamente.

PENALIDADES E RECURSOS
Art. 30º - As equipes inscritas devem respeitar os princípios que regem este REGULAMENTO GERAL, o REGULAMENTO ESPECÍFICO POR MODALIDADE E OS VALORES OLÍMPICOS, e outras orientações do evento que podem ser divulgadas através de Boletim Técnico que serão consideradas oficiais, e farão também parte deste Regulamento.
Art. 31º - Serão aplicadas Penas Disciplinares aos alunos, bem como as pessoas de responsabilidade definidas e pertencentes às equipes inscritas e correspondentes da turma, que tenham cometido as seguintes infrações:
a) Prejudicar o bom andamento da competição;
b) Promover desordens, antes, durante e após os jogos/competições;
c) Incentivar os jogadores/atletas à prática da violência, o anti-jogo;
d) Invadir os locais dos jogos ou competição;
e) Agressão mútua entre jogadores/alunos das equipes;
f)Tentar agredir ou agredir fisicamente e moralmente, árbitros, membros da comissão organizadora e adversários e torcidas.
g) Palavrões, ofensas, desobediências e insultos contra a equipe adversária ou qualquer pessoa presente no evento esportivo.
Parágrafo Primeiro – O jogador ou membro da turma correspondente, que cometer alguma das infrações acima, de forma repetitiva, após o aviso de advertência do árbitro, levará um cartão vermelho, ficará suspenso da partida seguinte, independente da fase em disputa. Dependendo do relatório do árbitro da partida ou membro da Comissão Central Organizadora, o infrator poderá receber uma punição maior ou até mesmo receber uma suspensão disciplinar.
Art. 32º - O jogador expulso pelo árbitro da partida estará automaticamente suspenso da partida seguinte. Dependendo do relatório do árbitro da partida, o infrator estará suspenso também das outras modalidades em que estiver inscrito independente da fase em disputa, ou até ser excluído dos JOGOS INTERCLASSE DO COLÉGIO JOSÉ LOBO.
Art. 33º - Caberá Recurso contra irregularidades observadas durante o evento, sempre que uma equipe comprovar o não cumprimento de quaisquer das exigências deste REGULAMENTO GERAL.
Parágrafo Primeiro – O Recurso deverá ser encaminhado por escrito à Comissão Disciplinar, datado, assinado pelo responsável da equipe e pela Direção, onde o jogo foi realizado, em 2 horas após o término do jogo.
Parágrafo Segundo – Uma vez dado o parecer pela Comissão Disciplinar, as equipes litigiosas não poderão recorrer desta decisão.
Parágrafo Terceiro – Todos os resultados obtidos através de recursos serão divulgados através de Boletim Técnico para conhecimento de todos participantes.
Art. 34º - Os casos omissos deste Regulamento Geral serão analisados e resolvidos pela Direção Geral juntamente com a Comissão Central Organizadora.

Goiânia, 30 de agosto de 2016.


    Comissão Central Organizadora

Nenhum comentário:

Postar um comentário