domingo, 15 de novembro de 2015

Eu faço esporte ou sou usado pelo esporte?

Colégio Estadual José Lobo
Disciplina de Educação Física
Professora: Mirna Moreira Batista
4º bimestre/2015
1º e 2º anos do ensino médio
Lista de exercício nº 02

Orientação da atividade avaliativa:
Formar duplas, tirar cópia do texto, da lista de exercício e responder na própria lista de exercício.
Entregar apenas a lista de exercício respondida, sem o texto, o texto fica com a dupla.
O prazo de entrega em 48 horas.
Utilizar canetas de cor azul ou preta. Não utilizar lápis ou corretivo nas respostas da lista de exercício.

Texto: Eu faço esporte ou sou usado pelo esporte?
Autor: Gilson José Caetano
Bibliografia: Vários autores. Educação Física. Curitiba/PR: SEED, 2006, 49 a 58 pg.

O esporte escolar, muitas vezes, é um reflexo do esporte competitivo ou rendimento. Este divulgado e incentivado pelos meios de comunicação, que atendem anseios do mercado consumidor, fortemente ligado ao ideário do sistema capitalista. Devemos entender tais propósitos, que estão postos de forma oculta, o que nos torna passivos e legitimadores desse sistema, para que possamos sair da condição de consumidores passivos e nos tornarmos entendedores da situação. Dessa forma, como podemos observar as intenções da mídia, presentes nas transmissões do esporte? E como entender o que está por trás de tal discurso? Você seria capaz de diferenciar o esporte dito “escolar” daquele esporte veiculado pelos meios de comunicação?

Evolução do Esporte até a Profissionalização:
“O esporte que conhecemos hoje é fruto de profundas transformações sociais ocorridas com o advento da chamada Revolução Industrial na Europa dos séculos XVIII e XIX, com origens, sobretudo, inglesas.” (BETTI, 2004, p.17).
Para entender o processo histórico em que surgiu o esporte, tão apreciado pela sociedade contemporânea, é necessário compreender algumas das transformações sociais que ocorreram naquele contexto. Entre os séculos XVI e XVIII, a sociedade européia era organizada em estamentos, ou seja, a posição dos sujeitos na hierarquia social era definida pelo seu nascimento. As pessoas que descendiam da nobreza tinham direitos e privilégios sociais muito maiores que o povo. Mesmo a burguesia, grupo social que se desenvolveu aos poucos, o longo daquele período até conquistar o poder econômico, não gozava dos mesmos direitos que os nobres.
A burguesia, classe que passou a ter forte influência sobre as demais, utilizava-se da pratica esportiva como forma de normatizar e disciplinar seus próprios filhos, a fim de prepará-los para saber controlar as tensões sociais. Ao mesmo tempo em que essa classe social buscava conquistar o poder político, consolidava-se seu poder econômico por meio da Revolução Industrial. No século XIX, com as reivindicações da classe operária para redução das jornadas de trabalho, os trabalhadores obtiveram acesso a um tempo destinado ao lazer. Mas o que fazer nas horas vagas? Junto a isso, intensificou-se o processo de urbanização que criava espaços públicos. Mas como utilizar esses espaços de forma correta?
A classe trabalhadora conquistou, após inúmeros enfrentamentos, a redução da jornada de trabalho e alguns direitos como o sufrágio universal. Estas conquistas preocuparam a burguesia em relação à forma como os trabalhadores poderiam aproveitar o tempo de folga. Isso seria uma poderosa arma a ser utilizada contra ela mesma (burguesia), uma vez que com esse tempo de folga e com os espaços públicos disponíveis para os momentos de lazer, seria fácil a criação de movimentos sociais contra a classe dirigente
Nesse sentido, surgiu a importância de incentivar a classe trabalhadora a aderir à prática esportiva, como forma de ocupação do tempo livre, diminuindo as possibilidades de tensões sociais. “No entanto, o significado dessa prática para essas classes sociais era outro, o corpo foi o meio, caracterizando-se uma prática mais viril” (RODRIGUES, 2004).
Dentro dessa perspectiva, o esporte assumiu diferentes papéis e um deles foi de elemento de socialização (para a elite), tendendo a uma prática amadora. Já para a classe trabalhadora, o esporte era praticado de uma forma mais combativa, aproximando-se do que viria a ser, mais tarde, o esporte “profissional”.

Surgimento do Esporte Espetáculo
A evolução do esporte até tornar-se “espetáculo” aconteceu de forma “natural”, pois, no sistema capitalista, um fenômeno aceito e incorporado tanto pela classe trabalhadora quanto pela classe dominante não poderia passar despercebido. Assim, o esporte, principalmente depois da Segunda Guerra Mundial, passou a ter conotações mercadológicas.
O esporte, na segunda metade do século XX, assumiu grande relevância social. Para muitos praticantes, esse fenômeno representava uma forma de status e, principalmente para as classes menos favorecidas, era o meio mais rápido de ascensão social.  Os meios de comunicação de massa contribuíram para a divulgação e ajudaram a criar essas “falsas ilusões”, valorizando o esporte e tornando-o uma mercadoria de consumo. Mas você sabe por que aconteceu isto? Para atender aos interesses de quem?
Alguns pesquisadores escrevem sobre este tipo de desvirtuamento que o esporte foi submetido. Proni (1998, p. 93), com base nos estudos de sociólogos, argumenta que “(...) antes do domínio da televisão, mudanças nas regras, estrutura e calendário foram introduzidos para aperfeiçoar o esporte ou incrementar a assistência das partidas. A partir do momento que o controle econômico se deslocou para a televisão, mudanças foram introduzidas para agradar os telespectadores ou gerar mais receita com propagandas”.
Um dos exemplos mais claros seria a questão da exploração da mídia sobre o voleibol, o qual teve suas regras alteradas em favor de interesses da televisão, como no caso da exclusão da “vantagem”, e também a inserção do “tempo da TV” que acontece sempre no oitavo e décimo sexto ponto de cada set. Será que isto também acontece com outros esportes?

O Esporte na Escola:
O processo de implantação da prática esportiva no ambiente escolar aconteceu, principalmente, na década de 1970, pois alguns anos antes desse período, poucas equipes nacionais conseguiram resultados expressivos no cenário esportivo internacional.
Nesse aspecto, Betti (1991) aponta que:
“O esporte pareceu também ir ao encontro da ideologia propagada pelos condutores da Revolução de 1964: aptidão física como sustentáculo do desenvolvimento, espírito de competição, coesão nacional e social, promoção externa do país, senso moral e cívico, senso de ordem e disciplina”. (p. 161)
O esporte pareceu também ir ao encontro da ideologia propagada pelos condutores da Revolução de 1964: aptidão física como sustentáculo do desenvolvimento, espírito de competição, coesão nacional e social, promoção externa do país, senso moral e cívico, senso de ordem e disciplina. (BETTI, 1991, p. 161)
Entendia-se, na época, que para um país destacar-se mundialmente, tanto política como economicamente, era necessário destacar-se também nos esportes. Desse período advém, até os dias de hoje, a implantação do fenômeno esportivo associado à Educação Física escolar.
O trecho a seguir retrata o que se pensava a respeito do futebol no período da ditadura no Brasil e em outros países da América do Sul:
Os generais e o Futebol
“Em pleno carnaval da vitória de 70, o general Médici, ditador do Brasil, presenteou com dinheiro os jogadores, posou para os fotógrafos com o troféu nas mãos e até cabeceou uma bola na frente das câmaras. A marcha composta para a seleção, Pra Frente Brasil, transformou-se em música oficial do governo, enquanto a imagem de Pelé, voando sobre a grama, ilustrava, na televisão, anúncios que proclamavam: Ninguém segura o Brasil. Quando a Argentina ganhou o mundial de 78, o general Videla utilizou, com idênticos propósitos, a imagem de Kempes irresistível como um furacão. O futebol é a pátria, o poder é o futebol: Eu sou a pátria, diziam essas ditaduras militares. Enquanto isso, o general Pinochet, manda-chuva do Chile, fez-se presidente do Colo-Colo, time mais popular do país, e o general García Mesa, que havia se apoderado da Bolívia, fez-se presidente do Wilstermann, um time com torcida numerosa e fervorosa. O futebol é o povo, o poder é o futebol: Eu sou o povo, diziam essas ditaduras.” (GALEANO, 2004, p. 136-137).
Atualmente, a razão da Educação Física escolar apoiar-se em tal fenômeno está relacionada com a “crença comum de que a participação é um elemento de socialização que contribui para o desenvolvimento mental e social.” (LOY et al, 1978 citado por BRACHT, 1997, p.75). Os resultados obtidos pela política esportiva da ditadura podem ser considerados um desastre quase social.
Ao utilizar-se do esporte nas aulas de Educação Física, muitas vezes a “(...) escola tende a reproduzir os discursos e soluções apontadas pela mídia. Não promove um diálogo. Apenas reforça a obtenção de informação compacta e fácil em detrimento de uma reflexão crítica. Essa situação gera uma ausência de significados (...)” (Gomes, 2001).
O esporte escolar deve estar caracterizado como “Esporte Educação” e não como “Esporte na Escola”. Do ponto de vista prático, o esporte não pode ser negado, mas sim utilizado de forma que desperte no aluno interesse e prazer e tenha uma intencionalidade educativa, nunca o jogo pelo próprio jogo. Você não acha mais interessante jogar “com” do que jogar “contra”?
A prática esportiva deve propiciar a você uma compreensão mais ampla sobre as relações sociais, às quais, constantemente, somos submetidos. Para que, por meio do esporte, possamos entendê-las de forma mais crítica e autônoma, tornando-nos donos de nosso próprio entendimento.




Colégio Estadual José Lobo
Disciplina de Educação Física
Professora: Mirna Moreira Batista
4º bimestre/2015
2º lista de exercício de fixação

Exercício de fixação
1.   O esporte surgiu após a Revolução Industrial, entre os séculos XVI e XVIII, como era organizada a sociedade naquela época e por que o esporte teve forte influencia da classe burguesa?
2.   O que a classe trabalhadora do século XIX, fazia nos momentos de lazer e como a classe burguesa reagiu, neste momento, de lazer dos trabalhadores?
3.   O esporte praticado pela elite era o mesmo da classe trabalhadora? Justifique.
4.   Quando o esporte espetáculo ganhou a conotação mercadologia?
5.   Mas você sabe por que aconteceu surgiu o esporte espetáculo e para atender aos interesses de quem?
6.   Porque a Televisão foi tão importante para a divulgação do esporte espetáculo.
7.   Em que momento implantou o esporte na escola e com qual objetivo?
8.   Como o futebol foi tratado no período da ditadura militar, no Brasil?
9.   Porque o esporte na escola foi considerado um desastre social no Brasil?
10. Quais foram as atividades praticadas na aula de educação física sobre o esporte? Qual foi o objetivo da aula? Justifique.
11. Quais são as implicações do esporte espetáculo para profissionalização do esporte?
12. Como a ideologia dominante, da classe burguesa pode ser transmitida ao povo? Marque a opção correta:
a)   Futebol                  
b)   Educação   
c)   Meios de comunicação
d)   Todas as alternativas estão corretas
13. O governo militar utilizou-se da vitória da seleção, no mundial de 1970, com qual intuito? Marque (V) para verdadeiro ou (F) para falso:
(   ) Desviar atenção da população
(   ) Para fortalecer a seleção para a próxima copa
(   ) Válvula de escape para os problemas sociais
(   ) Aliviar as conseqüências da instabilidade política do país
14. Na área de Educação Física Escolar muitas transformações e mudanças na prática do esporte, durante os anos, hoje temos uma vasta e ampla discussão de outros modelos de esporte para atender a diversidade humana e a necessidade social da atual sociedade. Qual modelo de esporte é reflexo da nossa aprendizagem dentro e fora da escola, e das influencias midiática?
a)   Esporte educacional
b)   Esporte participação
c)   Esporte rendimento
d)   Esporte espetáculo
15. Complete o quadro abaixo, com as informações da pesquisa feita na semana passada.
Exemplo:
Quantos do sexo masculino responderam a pesquisa: 24 (coloca no quadro a frente de masculino)
Quantos têm a idade de 15 a 20 anos: 22 (coloca no quadro a frente da idade a quantidade total)
Quantos responderam SIM, pratica ou praticou o esporte na escola: 21 (coloca no quadro a frente do SIM)
E assim, segue com as outras informações.

1.Sexo
Masculino

Feminino

2.Idade
15 a 20

15 a 20

21 a 25

21 a 25

26 a 30

26 a 30

31 a 35

31 a 35

36 a 40

36 a 40

41 a 45

41 a 45

46 a 50

46 a 50

Acima 50

Acima 50

3.Você pratica ou praticou esporte na escola?
Sim

Sim

Não

Não

Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Atletismo

Atletismo

Basquete

Basquete

Futsal/Futebol

Futsal/Futebol

Handebol

Handebol

Tênis de mesa

Tênis de mesa

Peteca

Peteca

Outros:
Qual?

Outros:
Qual?

4.Você pratica ou praticou esporte nas aulas de Educação Física?
Sim

Sim

Não

Não

Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Atletismo

Atletismo

Basquete

Basquete

Futsal/Futebol

Futsal/Futebol

Handebol

Handebol

Tênis de mesa

Tênis de mesa

Peteca

Peteca

Outros:
Qual?

Outros:
Qual?

5.Você pratica ou praticou esporte fora da escola?
Sim

Sim

Não

Não

Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Se sim, qual esporte você pratica ou praticou?
Atletismo

Atletismo

Basquete

Basquete

Futsal/Futebol

Futsal/Futebol

Handebol

Handebol

Tênis de mesa

Tênis de mesa

Peteca

Peteca

Outros:
Qual?

Outros:
Qual?

6.Se não, qual o motivo de você não praticar ou não ter praticado esporte?












Nenhum comentário:

Postar um comentário